sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Mundo intraterreno


Shambalah é a capital de Agarta, um vasto império escondido nas profundezas terrestres que, de acordo com fontes ocultistas e várias escolas de mistério, seria composto por milhares de habitantes distribuidos por inúmeras cidades.

Alguns peritos sustentam que este mundo subterrâneo tem compartimentos secretos dentro da base da Pirâmide de Queops, a grande pirâmide de Egito (aquela famosa ligação para a Esfinge de Giseh).
De acordo com as mesmas fontes existem algumas entradas (embocaduras) para Agarta localizadas no Brasil.

As mais conhecidas são:

"Sete Cidades" no Piauí
"Serra do Roncador" no Mato Grosso
"Vila Velha" no Paraná
"Ilha de Itaparica" na Bahia
"Circuito das Águas" em Minas Gerais
"Pedra Gávea" no Rio de Janeiro
A mitologia persa, (simbolicamente?) nos diz que há quatro estrelas guardiãs no céu, situadas nos quatro pontos cardeais da Terra. Todos os portais são guardados por elas.
Aldebaran ao Leste
Fomalhaut ao Sul
Regulus ao Norte
Antares a Oeste
O "portal" achado na lateral esquerda da Pedra da Gávea poderia ser uma das entradas para tal mundo.

Há muitas histórias sobre alpinistas e exploradores que vêem luzes sairem das aberturas ao redor das extremidades internas do suposto portal de Agarta.
Conta-se que em 1919, o oficial britânico Percival Fawcett, na companhia de seu filho e de alguns carregadores, comandou uma expedição rumo ao centro da Terra.

Esperava estabelecer contato com uma evoluída civilização intraterrestre que supostamente seria descendente dos Atlantes.

O mundo não mais ouviu falar dele.

Segundo diversas comunidades místicas, o explorador teria encontrado o portal que liga a Terra a esta e a outras civilizações, de grande poder espiritual e mais desenvolvidas que a nossa, preferindo não regressar à superfície.

Esta expedição teve lugar em solo brasileiro, no estado do Mato Grosso e na enigmática Serra do Roncador!

Formada por chapadões como um típico planalto, ela começa na cidade de Barra do Garças, a 500 quilômetros de Cuiabá, e se estende até a Serra do Cachimbo, no Pará. Ao longo de 600 quilômetros, encontramos vegetação do cerrado com formações rochosas gigantescas na superfície e uma infinidade de grutas com inscrições rupestres abrigando lagos subterrâneos de um azul cor de piscina.

Sua cadeia de montanhas, à semelhança de "canyons", divide as águas dos rios Araguaia e Xingu.

O nome da serra se deve ao ronco ininterrupto ouvido por toda região. Seriam sinais de atividade dos intraterrestres?