quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Demônios da igreja

O pregador inglês Thomas Lake Harris criou um grupo denominado Fraternidade da Vida Nova. Segundo suas crenças, Deus era, ao mesmo tempo, macho e fêmea, por isso as pessoas tinham o dever de se amar fisicamente e de maneira promíscua. Com sua excêntrica teoria, Harris cativou um membro do Parlamento Britânico, Laurence Olyphant, que se converteu à Fraternidade, doando-lhe todos os seus bens. Depois de casar-se, Olyphant enviou também todo o patrimônio da esposa à Fraternidade, além de ser explorado por Harris, que o enviava como correspondente do The Times para a Grã Bretanha, retendo seus ganhos e enviando lhe apenas o indispensável para sua sobrevivência. Mais tarde, Olyphant apercebeu-se da trama e pediu seu dinheiro de volta; foi rechaçado por Harris, que o declarou louco. Decepcionado, Olyphant e sua esposa foram para Haifa (atual Israel) e criaram um culto dedicado à Sympneumata, a união do espiritual e do terreno. Segundo eles, o estado constante de excitação sexual é que mantinha vivo o espírito. Por isso, eles se deitavam juntos, mas não era permitida a consumação do ato sexual. Depois da morte do casal Olypham, o culto se extinguiu.
Enquanto alguns procuravam a iluminação através do sexo, outros apregoavam que o estado superior da alma só poderia ser atingido através do celibato. Em 1870, em Suffolk, Inglaterra, uma extremosa mãe de dez crianças começou a ter visões de Cristo, que, em suas mensagens, afirmava ser chegada a hora de sua segunda aparição na Terra; para que o povo se preparasse. Ele elegeu Mary Ann Girling como sua mensageira. Através de suas mensagens surgiu um grupo chamado Cristãos da Bíblia. No auge do fervor religioso, em suas pregações próximas à ponte de uma ferrovia, os seguidores entravam em transe e começavam a dançar, motivo pelo qual tornaram se conhecidos como os saltadores de Walworth (nome da estação de trem próxima). O poder subiu à cabeça de madre Girling, que exigia que seus seguidores lhe entregassem os bens, permitissem a censura de sua correspondência e praticassem o celibato. Além disso, no auge do fanatismo, madre Girling desvirtuou a mensagem, declarando-se o próprio Cristo reencarnado; como era má administradora, os negócios não prosperaram. Morreu em 1886 e, com ela, a seita que foi sua última criação. Veja um caso semelhante aqui.