sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Estranha criatura encontrada no Panamá.

Quatro adolescentes com idades entre 14 e 16 anos encontraram - e mataram - no Panamá um ser que pode ser extraterrestre. O animal, muito estranho (como você pode conferir na imagem), tem aspecto humanóide e uma cara de foca.
Os jovens avistaram a criatura quando saía de uma caverna em Cerro Azul. Eles contam que o bicho começou a escalar as pedras onde estavam. Assustada e com medo de ser atacada, a gurizada atirou pedras até matar o suposto ET.
Parêntese: é triste como as pessoas invariavelmente matam aquilo que desconhecem.
Mas, seguinte nessa história, a origem do esquisitinho é desconhecida. Conforme o "Telemetro", alguns imaginam que possa ser um animal marinho desconhecido. Outros pensam que possa ser um bicho com problemas de formação; e há ainda os que apostam em um ser de outro planeta. Diante de uma situação dessa natureza, é praxe ancontrar alguns exageros. Não devemos esquecer que muitos experimentos genéticos estão sendo feitos pelo o mundo afora, sem que as autoridades competentes tenham o devido conhecimento.


O suposto ser extraterrestre 
encontrado  e morto por quatro 
adolescentes no Panamá é um bicho-
preguiça que sofreu mutação. A informação 
é do grupo de biólogos que realizou a 
necropsia no animal, achado em Cerro 
Azul. No entanto, o caso ainda não está 
totalmente resolvido na opinião do 
especialista em criptozoologia (hein?) e 
fenômenos OVNI Gastón Aseff. Para o 
investigador, o ser pode 
ter sim origem em outro planeta.

Conforme o especialista, o animal 
de Cerro Azul pode ser na realidade
 um representante dos "Annunaki" -
 suposta raça semi-alienígena criada
 da relação entre habitantes da Terra 
e seres extraterrenos - que teriam vindo
 ao nosso mundo na Antiguidade para
 alterar o DNA do homem primitivo 
(ou algo assim). Os indícios estariam 
na semelhança do bicho com imagens
 em artefatos sumérios e acádios.
O mais importante é que, em entrevista
 ao "Primera Plana Mundial", o investigador 
ressaltou que os biólogos garantiram não
 ser um ET; mas, também, disseram que pode
tratar-se de um preguiça, sem, no entanto, 
concluir que seja, segundo ele. Isso permite ao especialista defender que o estudo do
 caso deva ser aprofundado. 
Matéria publicada com a colaboração de: Evandro Espagnollo.

Essa matéria pode lhe interessar.