quinta-feira, 17 de março de 2011

Prever um terremoto, é possível?

Um novo relatório divulgado em (09-03-2011) no Kremlin preparado para o primeiro-ministro Putin pelo Institute of Physics of the Earth (Instituto de Física da Terra), em Moscou, está advertindo que as Américas estão em perigo de sofrer um mega-terremoto de proporções catastróficas durante as próximas duas semanas (14 dias), com uma ênfase específica nos Estados Unidos, México, América Central e América do Sul, costa Oeste, juntamente com a Nova Falha de Madrid.
Este relatório ainda adverte que os terremotos catastróficos na Ásia e no sub-continente estão, também, "mais do que provável de ocorrer" com o tremor de magnitude 7,3 no Japão (dia desta publicação), hoje sendo "um mínimo de 4 dessa intensidade" para ocorrer durante esse mesmo período.
Prevendo que um mega-terremoto ocorra, o relatório diz que são os aumentos sutis dos sinais eletromagnéticos que estão sendo detectados na atmosfera superior da Terra ao longo de muitas regiões do Mundo, as mais intensas estão sobre o litoral oeste dos EUA e Centro-Oeste.
É importante notar que os cientistas russos e britânicos estão na vanguarda de prever terremotos com base nesses sinais eletromagnéticos sutis e têm juntado esforços para colocar satélites no espaço para detectar mais deles.
O mais preocupante neste relatório são os cientistas russos confirmando a análise independente do matemático e meteorologista da Nova Zelândia, Ken Ring, que previu o mortífero terremoto de Christchurch, e esta semana emitiu outro alerta de um terremoto com possibilidade de ocorrer em 20 de março.
Segundo este relatório, no entanto, onde Ken Ring (foto) está correto na avaliação da culpa pelos terremotos na Terra, a sua substituição de Perigean Spring Tides (também conhecido como King Tides ) para os sistemas de baixa pressão associados com eles podem estar incorretos.
A menção no relatório de sistemas massivos de baixa pressão estar associada a terremotos catastróficos é especialmente preocupante para a região Centro-Oeste dos Estados Unidos que ainda hoje continua a ser bombardeada por grandes quantidades de chuva e principalmente afetando a Falha de Nova Madrid no Estado de Arkansas que sofreu, sozinha, mais de 800 abalos nos últimos 6 meses.
Igualmente em perigo, é a Nação Sul-americana da Bolívia, que sofreu tempestades catastróficas de baixa pressão que matou mais de 52 pessoas na semana anterior.
O mais nefasto no presente relatório, porém, é o alerta de que o Estado da Califórnia, crivado de falhas, pode estar prestes a sofrer seu mais catastrófico terremoto das últimas décadas, como novos relatórios para esta região mostram. A morte em massa de milhões de peixes está ocorrendo agora, assim como o encalhe em massa de baleias nas praias da Nova Zelândia nos dias 22 de fevereiro.
Para deixar a situação do nosso planeta ainda pior, os relatórios mostram que o nosso Sol continua com as maciças explosões solares.
É interessante notar em todos esses eventos, que o Exército dos Estados Unidos anunciou esta semana que está prevendo um evento de formação rara, envolvendo o Exército dos EUA, a CIA, os oficiais do Canadá, do Tesouro dos EUA e departamentos de Estado, a Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional, a Cruz Vermelha Internacional, para 21-25 de março, em Fort Leavenworth, Kansas, e que caso o pior aconteça, eles vão, certamente, estar preparados para isso.
Como este relatório conclui, embora o método para prever terremotos tem sido reconhecido cientificamente, é bem interessante notar que são muitas coincidências anômalas que conduzem a mega-terremotos catastróficos para serem ignoradas.
Em outras palavras, é sempre bom estar preparado para as grandes catástrofes sempre que o aviso vier.
Ed. Nota: Os governos ocidentais e os serviços de inteligência, ativam uma campanha contra a informação contida nestes relatórios a fim de não alarmar os cidadãos sobre as muitas mudanças catastróficas e eventos por vir. Uma postura que o Sisters of Sorcha Faal discorda fortemente por acreditar que todos os seres humanos têm direito de saber a verdade. Devido a conflitos, nossas missões com os governos e as respostas de seus 'agentes' contra nós têm sido uma longa campanha de desinformação destinada a desacreditar e que é abordada no relatório "Who is Sorcha Faal?"]
Tal fenômeno provavelmente seria suficiente para fazer você parar o que estava fazendo e fazer um balanço do que exatamente estava acontecendo.
Este evento improvável, aconteceu. Ao longo de várias semanas em 1811 e 1812, massivos terremotos atingiram a falha geológica Nova Madrid, no Missouri. Um surpreso barqueiro relatou ter sido empurrado "quatro milhas" a montante, rio acima "na velocidade de um cavalo rápido." Falhas grandes criaram cachoeiras de cerca de 3,5 metros de altura quando a água jorrou na direção errada.
Por mais doloroso e tão devastador como são, grandes desastres naturais podem ter um lado positivo. Eles podem ser uma ferramenta para ensinar lições.
Depois de experimentar um terremoto de magnitude 8,5 no Chile, quase 175 anos atrás, Charles Darwin,  descreveu a impressão que causou nele. "Um terremoto como este uma vez destrói as mais antigas associações; move o mundo, o símbolo de tudo o que é sólido, sob nossos pés como uma crosta ao longo de um fluido", escreveu ele. "Numa fração de tempo transmite à mente uma idéia estranha de insegurança, que horas de reflexão nunca seria capaz de criar" (grifo do autor).
Sim, quando o desastre e a sua vida está na balança, ela pode ser uma experiência muito comovente. Infelizmente, uma vez que a catástrofe é passado, é muito comum esquecer os ensinamentos, o compromisso de resoluções e promessas feitas.
As tragédias do recente terremoto no Haiti e Chile deve servir como um lembrete e uma advertência à América. Ambos os terremotos aconteceram ao longo de placas tectônicas que estão muito perto dos Estados Unidos.
Para o oeste, o terremoto de 8,8 na escala Richter que destruiu o Chile foi espantosamente 320 vezes mais forte que o terremoto que devastou o Haiti. Foi o quinto mais forte terremoto registrado na história. Embora a intensidade do terremoto seja fora do comum para o Chile, terremotos pequenos são muito comuns lá. O país está localizado em uma região propensa a instabilidade tectônica chamada Anel de Fogo. A Califórnia senta-se sobre este mesmo anel, que funciona através de toda a costa do pacífico da América do Sul acima, através da Columbia Britânica e do Alasca e em todo o Pacífico.
O terremoto do Haiti, no entanto, foi ainda mais perto da América. As linhas de fratura que separa o Caribe e as placas da América do Norte correm bem através do Haiti. O terremoto de magnitude 7, foi o mais forte a atingir aquela região em 200 anos, impactou diretamente na placa que os Estados Unidos esta assentado e chama de lar.
Curiosamente, ele também foi, em quase 200 anos desde que o terremoto maciço no Missouri fez o Mississippi correr em sentido contrário e fizeram todos os sinos das igrejas na Nova Inglaterra a tocar. Os cientistas dizem que, se um tremor semelhante acontecer na zona da falha geológica de Nova Madrid hoje, a devastação será enorme. Há estimativas de que o terremoto naquele tempo foi sentido fortemente sobre 50.000 quilômetros quadrados e moderadamente dentro de uma área de 1 milhão-milhas quadradas. Para comparação, o histórico do terremoto de 1906 em San Francisco, que destruiu a cidade, foi sentido apenas moderadamente ao longo de aproximadamente 6.000 milhas quadradas.
No entanto, os geólogos dizem que não devemos nos preocupar com o histórico de terremotos do tamanho do ocorrido no Chile e no Haiti. Geologicamente falando, eles não estão relacionados, dizem eles.
Falando estritamente com base cientifica, esses comentaristas da mídia podem estar corretos. Mas a realidade é que há mais do que isso. O terremoto no Chile e no Haiti estão intrinsecamente relacionados e eram previsíveis!
Primeiro, A freqüência de terremotos parece estar aumentando. Vários terremotos de maior intensidade aconteceram na Argentina, Venezuela, Califórnia, Japão, Taiwan e Chile, indicam uma tendência, E não é boa.
O USGS (United States Geologic Survey- ver site:www.iris.edu/seismon) afirma que em qualquer ano, em uma situação normal, pode-se esperar 17 grandes terremotos em média (7,0 graus na escala Richter ou superior), mais um terremoto grande (8,0 ou superior). Em pouco mais de dois meses de 2011 já tivemos um grande terremoto e estamos no caminho certo para experimentar prováveis grandes terremotos em 2011.

Colaboração: Maria Das Graças F. Morais.