quinta-feira, 20 de novembro de 2014

O Ocidente a beira de uma revolução


O economista Martin Armstrong avisa que há ressentimento contra o status quo por causa da crescente desigualdade econômica , e isso pode causar sérias revoltas política em 2016.






"É cada vez mais claro que a possibilidade de uma insurreição grave aconteça porque a situação econômica flagrantemente se agrava e isso é o ingrediente mágico para reduzir o nível econômico, obter agitação civil e as revoluções," Armstrong escreve.
 Ao fazer a previsão, o economista cita o exemplo de um americano de 90 anos de idade chamado Arnold Abbott, um veterano da Segunda Guerra Mundial, que está sendo perseguido por autoridades em Fort Lauderdale por desafiar uma lei municipal que criminaliza quem der comida a indigentes e sem-teto. 
O homem pode ser multado em US $500 e sentenciado a 60 dias na cadeia. Um exemplo que mostra que de acordo com Armstrong,"As leis  nos EUA tornaram-se realmente loucas."

Armstrong, já previu corretamente diversos eventos econômicos de destaque na época, como a queda do mercado de ações conhecida como a  segunda-feira negra em 1987 e o colapso financeiro da Rússia em 1998, agora ele diz que o sistema cai por sua incapacidade de medir o nível de raiva que os americanos sentem em relação a seu governo hoje.
Um exemplo claro da ira popular nos EUA, e no resto do mundo, foi o que vimos no passado 04 de novembro, quando houve uma manifestação de protesto global chamada " Marcha dos Milhões de Máscara". EmWashington DC , um grupo de manifestantes mascarados invadiu a sede do FBI para enfrentar um grupo de policiais que guardavam a entrada do edifício, criando uma situação tensa.
A atitude da polícia, Armstrong também analisa.
"O que podemos dizer sobre as ações da polícia neste país (EUA)?

Eles tornaram-se agressores com distintivos que tornam qualquer lei em uma ferramenta  absurda. Se um dia os políticos criarem uma lei ao modelo e Herodes decretando que todo mundo tem que matar, seu primogênito, a polícia também vai cumprir cegamente?

A polícia não protege as pessoas. O que eles fazem é proteger os políticos da população "
Como Infowars relatou em agosto, os militares dos EUA estão se preparando para uma possível agitação civil nos. Um documento intitulado "Técnicas do Exército dos EUA - Unrest Civil" descreve como as tropas devem agir para resolver " conflitos de multidões rebeldes e violentas ", pois seria" necessário para acabar com os tumultos e restaurar a ordem pública " Talvez algumas pessoas vão dizer que este é Conspiranoia, mas é uma política que não é limitada para os EUA , como vimos neste Na semana passada, na Espanha também estão treinando o exército para reprimir manifestações.


"Os militares tem polícia pronta para atuar como motim civil em um regimento blindado militar em Valência, foram instruídas a se exercitar durante duas semanas para 'controle de multidões' sem que eles explicassem por que deveriam receber esse treinamento. As autoridades dizem que "como os controlador, você tem que estar preparado para tudo, nestes tempos."
Por que treinar o exército para reprimir a população se houver quaisquer perturbações, tumultos ou atos terroristas em qualquer lugar na Espanha? Seja para o que for, treinar o exército para reprimir a população civil é inédito na democracia e claramente fala do verdadeiro espírito "democrático" que os governos têm . Isso também indica que haverá algum tipo de revolta popular em um futuro não muito distante. Algo que pode ultrapassar as fronteiras de vários países. Nessa quinta feira passada, 6/11/2014, perturbações graves foram sentidas na cidade de Bruxelas, em uma série de manifestações contra as medidas de austeridade que levaram 100 mil pessoas as ruas.
Este descontentamento popular se estende por muitos países e vem em meio a uma crise na qual a classe média ocidental está sendo enganada, ao passo que 1% da população favorecida está se tornando cada vez mais rica . A situação da crise é que algumas autoridades parecem empenhadas em aumentar ainda mais o nível de raiva e tensão da população. É o caso de personagens sem vergonha como o diretor do Banco Central do Canadá, Stephen Poloz , que advoga para jovens que concordam em trabalhar de graça " até que a crise acabe ", como disse no artigo" At Last alguém vai encontrar a solução para o desemprego e a crise ! ".
Portanto, a possibilidade de uma revolta popular em um país ocidental está longe de ser desprezível e seria mais do que justificada.

Como uma roleta russa, o tambor do revólver continua girando e depois de várias tentativas, ainda não produziu o tiro fatal. Mas as chances estão aumentando a cada dia.

E isso levanta a questão,
  • O que acontecerá se uma revolução eclodir em um país ocidental?
     
  • Será que vai tornar-se um exemplo e se espalhar como fogo para outros países ocidentais?
Alguns bilionários estão começando a ver as orelhas de lobo, como é o caso com Nick Hanauer em carta aberta de um bilionário :
"Eu tenho uma mensagem para o meu companheiro podre de rico, para aqueles que vivem fechados em nossas bolhas fechadas .. Awake isso não vai durar, revoluções tais como falências, gradualmente se aproximam, e de repente explodirão um dia. Alguém está pondo fogo no Bonze e de repente milhares de pessoas inundarão as ruas e antes que você perceba, todo o país está em chamas por todos os lados. Se a desigualdade continua a subir, como de costume, isso vai acabar acontecendo. Nós não seremos capazes de prever quando, e será terrível para todos. O que eu vejo no nosso futuro? Vejo garfos. Os garfos estão chegando ... para nós, os plutocratas. " 
Esse assunto pode lhe interessar.