segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Royal Society debate vida alienígena

A exemplo do Vaticano, Londres recebeu, durante uma semana, a conferência “A detecção de vida extra-terrestre”. O certame juntou cientistas para uma discussão debruçada sobre um dos maiores mistérios do universo: estaremos sozinhos?
Probabilidade de existirem outras formas de vida para além da Via Láctea reúne credibilidade e consenso junto da comunidade científica.


Martin Rees, astrofísico e presidente da Royal Society, declarou, em entrevista à agência Reuters, que “a maioria das estrelas, como o Sol, têm provavelmente em seu torno sistemas planetários”. “Temos motivo para suspeitar que muitos desses planetas são semelhantes à Terra”, sublinhou.( Por que não disse logo que há vida nesses planetas? Eles sabem disso.)
Rees, professor de cosmologia e astrofísica da Universidade de Cambridge, afirmou ainda que os progressos tecnológico desenvolvidos durante a última década, permitirão descobrir formas mais complexas de vida, até mesmo na nossa galáxia.
A academia nacional de ciência britânica Royal Society, que este ano assinala 350 anos de existência, reuniu durante o certame 250 cientistas, de entre eles membros da NASA, da ONU e da ESA (Space For Europe).
Para mim, isso mais parece uma grande palhaçada, se ao menos houvesse alguma dúvida a esse respeito, será que uma instituição com tamanha idoneidade iria se ocupar em reunir cientistas desse calibre com a finalidades de fazer apenas conjecturas?