segunda-feira, 2 de março de 2015

Entenda por que o Estado Islâmico é apenas uma marionete


Desde agosto de 2014, a Força Aérea dos Estados Unidos, com o apoio de uma coalizão de 19 países tem lutado incansavelmente numa intensa campanha aérea na Síria e Iraque, contra supostamente, uma brigada do Estado islâmico ou ISIS. De acordo com a Defense News cerca de, 16.000 ataques aéreos foram realizados a partir de agosto 2014 até meados de Janeiro de 2015. Sessenta por cento dos ataques aéreos foram realizados pela Força Aérea dos Estados Unidos, usando caças e bombardeiros avançados. Os ataques aéreos foram descritos, por último, pelos meios de comunicação, como parte de uma operação anti-terrorista, e não como um ato de guerra total contra a Síria e o Iraque. Esta campanha aérea em larga escala, o que tem causado muitas mortes entre civis, recebeu uma atenção precária da mídia. De acordo com Max Boot , um membro sênior do Conselho de Segurança Nacional de Relações Exteriores:
"A estratégia de Obama na Síria e no Iraque não está funcionando ... porque a campanha de bombardeio contra US ISIS tem sido muito restrito".
Os americanos querem fazer acreditar ao resto do mundo que o Estado islâmico é uma formidável força capaz de enfrentar o Exército dos Estados Unidos e ameaçar a civilização ocidental.
A idéia central por trás de toda a informação recebida é que a Força Aérea dos Estados Unidos fracassou e que "Obama deve ampliar o leque de operações" para lidar eficazmente com este "inimigo externo formidável"  Segundo Max Boot, a escalada militar é a solução:


"Enviar mais aviões, conselheiros militares e forças de operações especiais e afrouxar as restrições sob as quais operam".
Mas olha, que tipo de aeronave foram utilizados nesta campanha aérea?

F-16
Diante desse poder aéreo formidável usado, vem a grande pergunta ... Por que a Força Aérea dos Estados Unidos tem sido incapaz de acabar com o Estado Islâmico, que inicialmente estava equipada com pequenas armas convencionais e simples pick-ups Toyota?
A verdade é que, desde o início, a campanha aérea não foi dirigida a ISIS. A evidência confirma que o Estado islâmico não é o objetivo. Muito pelo contrário.
F-15E
 Os ataques aéreos têm a intenção de destruir a infra-estrutura econômica do Iraque e da Síria. Vamos refletir por um momento, vamos olhar atentamente para a foto abaixo, que mostra um comboio de caminhões do Estado Islâmico indo da Síria, para o Iraque a entrar através de um trecho de 200 quilômetros de deserto aberto que separa os dois países.
Este comboio entrou no Iraque em junho de 2014. O que seria necessário do ponto de vista militar, para terminar com um comboio como este? Não é preciso uma grande quantidade de conhecimentos sobre questões militares. O senso comum prevalece tivessem eles desejado eliminar as brigadas do Estado islâmico, poderia facilmente ter bombardeado seus comboios de caminhões da Toyota enquanto atravessavam o deserto da Síria para o Iraque em junho. Mas ninguém fez nada. Apesar do óbvio, no entanto, nenhum dos principais meios de comunicação tem noticiado, que o  deserto sírio-árabe é um território aberto.
A-10
Basta usar aviões de combate mencionados aqui (F15, F22 Raptor, F-16), destruir todos estes comboios teria sido uma moleza, uma intervenção cirúrgica rápida e conveniente,  teria dizimado os comboios do Estado islâmico em uma questão de horas. Em vez disso, o que temos visto são seis meses de ataques aéreos e bombardeios incessantes, que estranhamente foi em vão , já que a horda terrorista "inimigo" aparentemente, ainda está intacta.
F-22 Raptor
Lembre-se que, em comparação, os bombardeamentos da OTAN na Jugoslávia, em 1999, durou cerca de três meses (24 março - 10 junho, 1999). É simplesmente incrível. Eles querem nos fazer crer que o Estado islâmico, que viaja na maior parte em comboios de caminhões não pode ser derrotado por uma poderosa coalizão militar de 19 países . lideradas pelos Estados Unidos Então, vamos dizer a verdade:

A campanha aérea não se destinava a dizimar o Estado Islâmico

  • O mandato de luta contra o terrorismo é uma ficção
  • Estados Unidos é o "Estado patrocinador principal do terrorismo"
O Estado Islâmico não só é protegido por EUA e seus aliados, mas é treinado e financiado por eles, EUA e a OTAN, com o apoio de Israel e seus aliados no Golfo Pérsico. 

Esse assunto pode lhe interessar.
Ataque de torpedeira